Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

O QUE AS NAÇÕES UNIDAS ESTÃO A PREPARAR PARA O DIA MUNDIAL DA ÁGUA?

Mäyjo, 20.03.15

agua_SAPO

A água é o recurso – um dos – do século XXI, sem o qual não existem natureza, produção de alimentos, saúde, indústria, urbanização, energia e, em último caso, vida. Este domingo celebra-se o Dia Mundial da Água e, como todos os anos, a ONU (Organização das Nações Unidas) vão dedicar um intenso programa ao tema.

Através da UN Water – agência das Nações Unidas para a água – a ONU convida todos a fazerem parte das celebrações do Dia Mundial da Água através do slogan #WaterIS – “a água é”, em inglês – uma frase que deverá ser concluída pelo cidadão.

Uma das iniciativas convoca todas as pessoas a fazerem uma selfie com a tag #WaterIS. A foto deve ser colocada nas redes sociais – ou enviada para o email unwater@un.org – e ser acompanhada pela resposta à pergunta: “O que significa a água para si?”

Outra das iniciativas convida os cidadãos e os seus amigos a criar um trabalho de arte, imagem, fotografia ou vídeo e enviá-lo para #WorldWaterDay, também através do email unwater@un.org. As peças e filmes recebidos serão divulgados na página da campanha, este domingo.

Paralelamente, artistas internacionais como Jason Mraz, Pharell Williams, Kesha, Pitbull, a banda One Direction ou as personagens da Rua Sésamo também já aderiram ao convite. Este ano as Nações Unidas escolheram como tema Dia Mundial da Água e o Desenvolvimento Sustentável.

Acompanhe todas as iniciativas oficiais no Twitter e Facebook da UN Water.

Foto: JackPeasePhotography / Creative Commons

PACÍFICO: 10 MILHÕES DE HABITANTES NA ENCRUZILHADA IRÓNICA DA ÁGUA

Mäyjo, 20.03.15

tuvalu_SAPO

Os cientistas esperam que a Ilha-Nação de Tuvalu esteja debaixo de água até ao final do século mas, por incrível que pareça, essa não é a principal preocupação dos 11.000 habitantes da ilha. Entre as ilhas do Pacífico, Tuvalu é a que está mais dependente do armazenamento da água da chuva.

O problema em si não é a falta de chuva, mas a dificuldade dos seus habitantes em recolhê-la e armazená-la, explicou o Guardian. Tal como Tuvalu, outros pequenos países e ilhas da Oceânia têm problemas idênticos – apenas um em quatro habitantes tem acesso a água potável canalizada, uma percentagem menor que a da África subsariana.

“Se este caminho persistir, milhões de habitantes de ilhas do Pacífico vão continuar a usar água insegura para beber durante várias gerações, com implicações profundas no crescimento económico, saúde pública, ambiente e direitos humanos”, explicou Peter Sinclair, coordenador de recursos aquáticos do Secretariat of the Pacific Communitt (SPC).

De acordo com o Guardian, existem fábricas de dessalinização e outras infra-estruturas de larga escala em várias destas ilhas, mas a falta de poder económico e combustível para as pôr a funcionar é comum a vários testes territórios.

Tuvalu acabou de inaugurar uma cisterna com capacidade para 288.000 litros, na ilha de Funafuti, que se junta a outra de 700.000, em Lofeagai. Estas infra-estruturas estão fechadas, para evitar a contaminação pelo sal da água e doenças como E-Coli. Em ambos os casos, elas estão ligadas a igrejas que, juntamente com as escolas, hospitais e edifícios governamentais, são usadas para armazenar água. Mas mais infra-estruturas são necessárias.

Paralelamente, estas cisternas são vistas como uma importante defesa contra as alterações climáticas, que estão a provocar épocas de chuva mais curtas e outros padrões climáticos erráticos. Uma das consequências é um risco mais alto de secas, como a de 2011, que levou Tuvalu a racionar a água.

Segundo o Guardian, esta tecnologia de armazenamento de água não é nova mas é importante e deverá ser exportada para outras ilhas. Peter Sinclair admite ainda que o sector privado, sobretudo ligado ao turismo, tem de fazer mais para ajudar a melhorar o acesso a água potável – doando tanques, bombas de água e outros equipamentos. E ajudar a financiar o desenvolvimento de novas tecnologias.

“É um desafio tremendo. No Pacífico, as soluções tecnológicas têm de ser replicáveis sem custos ou deixará as comunidades à mercê de uma solução que não é sustentável a longo prazo”, concluiu o responsável.

Foto: Stefan Lins / Creative Commons

 

Visto de cima

Mäyjo, 20.03.15

Luoping County, China.jpg

Canola Flower Fields

Luoping County, China

24°53′06″N 104°18′29″E

 

Campos de flores de canola cobrem a paisagem montanhosa de Luoping County, China.

A cultura é cultivada para a produção de óleo, o qual é extraído através do aquecimento e, em seguida, de um ligeiramente esmagamento das sementes da flor. O óleo de canola é utilizado principalmente para fins colinários e como fonte de biodiesel.

 

 

POR QUE RAZÃO OS PRINCIPAIS MONUMENTOS DO MUNDO ESTÃO VERDES?

Mäyjo, 20.03.15

stpatricio_SAPO

Coliseu de Roma, Basílica do Sacré Coeur, London Eye, Torre de Pisa, hotel Burj Al Arab e Cristo-Rei de Lisboa, entre outros 150 monumentos e estruturas icónicas, estiveram ontem – e deverão estar hoje – de cor de verde, uma acção que não está relacionada com a sustentabilidade, infelizmente, mas sim com a celebração do dia de São Patrício – St. Patricks Day – santo padroeiro da Irlanda.

Segundo a imprensa britânica, este enverdecimento de vários monumentos não passa de uma campanha de publicidade do Turismo da Irlanda para promover o país. Em Portugal, também o Museu Condes de Castro de Guimarães, em Cascais, e a Estátua do Duque da Terceira, no Cais do Sodré, estará com a mesma cor.

A escolha do Museu Condes de Castro de Guimarães, segundo a embaixada da Irlanda em Portugal, prende-se com as origens do seu primeiro proprietário, Jorge O’Neill, que descende de Tyrone e Glen-Boy, reis da Irlanda.

Ironicamente, dentro de apenas 8dias celebra-se a Hora do Planeta, um evento lançado em 2008 e que pretende chamar a atenção para a sustentabilidade através do desligamento das luzes de vários monumentos de todo o mundo – inclusive os que ontem e hoje estarão esverdeados. A iniciativa é organizada pela WWF.

 

Dia de S. Patrício pinta o globo de verde